Leite derramado.

Um típico e ilustre exemplar da família dos Assumpção é o personagem principal do novo romance de Chico Buarque, que tem como cenário , mais uma vez, centrado na cidade do Rio de Janeiro. O livro foi editado pela Companhia das Letras.
A trama é contada de cima de uma cama de hospital, de onde o tal Assumpção, narra suas histórias para a filha, uma ou outra enfermeira, alguns colegas de quarto ou para quem estiver passando.
As histórias são na verdade devaneios de uma época gloriosa, onde a família possuia propriedades, prestígio e o mais importante para a época: nome.
Já nos dias em que a história é contada, o único bem que resta são as lembranças, mesmo que vagas, misturadas, conturbadas. Em um verdadeiro vai e vem frenético e repetitivo a história de sua vida se passa de página a página.
Assumpção relembra seus antepassados de renome e faz questão de frizar seus feitos e façanhas, que se comprovam apenas através de uma ou outra pintura a óleo ou fotografias já amareladas e esquecidas em uma gaveta, trancadas a chave.
As lembranças são tão vagas que a certo ponto o livro se torna repetitivo.
Assumpção comenta muito sobre a mulher que amou. Comenta inúmeras vezes como a desejou na missa de sétimo dia de seu pai e como ela foi embora sem deixar pistas.
Fala sobre fatos que nem ele se dá conta de serem reais, do filho de sua filha Maria Eulália, do neto e bisneto também, que levam consigo, não mais o prestígio, mas o nome dos Assumpção.
A passagem mais marcante do livro, por incrível que parece eu encontrei na última página, e a transcrevo aqui:

"E juntou mais gente quando ele esbugalho os olhos, ficou roxo e perdeu a voz, queria falar e não saía nada. Então abriu passagem uma jovem enfermeira, que se debruçou sobre meu tetravô, tomou suas mãos, soprou alguma coisa em seu ouvido e com isso o apaziguou.
Depois passou de leve os dedos sobre suas pálpebras, e cobriu com o lençaol seu outroro belo rosto."

Teimo em pensar que Chico é apaixonado pela escrita de Gabriel García Marquéz, não apenas pelos longos e intermináveis paragrafos, mas nesta obra, também pelo fato da repetição de nomes, que pode ser encontrado em "Cem anos de solidão", de Marquéz.

13 comentários:

Pobre esponja disse...

Li Benjamim dele, e gostei. Esse ainda lerei, pois sou um consumidor ávido de livros. Minha praia é o realismo, mas gosto de tudo que é bom.
Parabéns pelo blog, até mais.

abç
Pobre Esponja

Keffey disse...

Olha, já fui mais fã de literatura do que nos dias de hoje haha... parece ser um livro interessante apesar dos fatos ditos
Quem saiba eu leia um dia

bruno disse...

A crítica festejou muito esse livro, não sei se porque o autor é o Chico Buarque, mas deve ser um trabalho muito bom. Tenho uma resenha dele, mas vou adquiri-lo

FAGGH® disse...

ola! seu blog esta muito manero o template é show ...seguindo

abrç


www.celebritypoke.blogspot.com

Viktor disse...

Uau, que blog mais organizado! Esta de parbéns mesmo! Gostei muito do Layout, das cores e do conteudo!

Até.

*Teta de Nêga* disse...

Parabéns pelo blog!
Fiquei curiosa em ler esse livro!

FAGGH® disse...

passando mais uma vez no seu blog hoje , curti muit mesmo
abrç


www.celebritypoke.blogspot.com

continua velendo ...seguindo!!!

www.celebritypoke.blogspot.com

kbritovb disse...

não me atraiu muito mas ja aconteceu antes e quando eu li o livro era bom mesmo
vo fazer o teste com esse valeu a dica

antoniopimenta disse...

achei i seu blog muito interessante, vou seguir

:D

abraços

p.s. se der visite o meu

http://antoniopimenta.blogspot.com/

Diego Janjão disse...

tava mesmo precisando ler um bom livro,agora achei um...

agora so falta coragem pra ir comprar!

rsrsrs

Thiago Damião disse...

Tai um livro que quero ler, gosto muito da obra musical de Chico, a literária não conheço, não li nenhuma obra, mas Gabriel Garcia é muito bom, gostei do seu post, de qualidade!!!!!


:D

fabriciobezerradaguia disse...

Chico buarque é um gênio,ele é cantor ,escritor e ainda tem trabalhos no cinema.eu nunca li nenhum livro dele,mas é porque eu não tenho o hábito da leitura,coisa que seu blog incentiva

SOLTEIRAS S/A disse...

Eu gostei bastate de leite derramado, e acho que a repeticao de trechos so nos faz ficar mais intrigados e dispostos a conhecer a verdadeira Matilde... Um dos melhores que li nos ultimos tempos inclusive.